Crédito: Raul Brandão

PLIPP

PLIPP é um projeto paralelo do baterista Felipe Continentino, que já vinha explorando a música eletrônica há algum tempo, ligado a composições de trilhas sonoras. Ephemeral é o resultado de 2 anos de experimentos e traz elementos que vão do acid ao ambient, downtempo, IDM, synthpop. O disco apresenta linhas muito bem elaboradas, ora harmônicas ora darks, com batidas originais que, para além do eletrônico, contam com intervenções nas baterias acústicas, dando um toque original ao álbum, que conta com 13 faixas. Nas influências, Aphex Twin, Boards of Canada, Bibio, Flying Lotus e por aí vai. Tudo, tudo, do álbum à capa, feito em seu próprio homestudio, fazendo jus ao estilo DIY. 

Lançado pelo selo musical independente La Femme Qui Roule.

Resenha: Miojo Indie

© 2020 by Felipe Continentino. All rights reserved.